O melhor da Internet você encontra aqui!

Brasil Resorts Online

Categoria: Saúde Page 1 of 2

Impotência sexual pode causar depressão?

Temida por todos os homens, a impotência sexual, ou disfunção erétil, é a incapacidade do homem em manter uma ereção satisfatória para o ato sexual, cujo problema afeta metade do público masculino, ao menos, uma vez na vida.

Apesar de ser um problema muito comum, no entanto, é raro o homem que admite já ter passado pelo problema.

O fato é que falhar não é nenhum fim do mundo, até porque, é preciso saber que ter dificuldades eventuais de ereção não significa ser impotente sexual, e se for, não é preciso se desesperar, pois atualmente já existem diferentes tratamentos, para todos os graus de impotência, Sildenax é uma ótima opção de tratamento natural.

Como Diagnosticar impotência sexual?

Primeiramente, vale saber que só pode ser considerada impotência sexual quando o homem não consegue manter a ereção de forma recorrente, em cerca de 75% das tentativas de ter uma relação.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde) nada menos que 30% dos homens do mundo inteiro sofrem de impotência sexual em algum nível.

Apesar de todo o tabu existente por aqui, calcula-se que, no Brasil, mais de 25 milhões de homens com mais de 18 anos tenham algum grau de impotência.

Os dados são ainda mais alarmantes quando se sabe que de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, surgem mais de um milhão de novos casos a cada ano.

Causas da impotência

A impotência sexual é mais comum a partir dos 40 anos, embora os jovens também possam apresentar o problema.

Muitas podem ser as causas do problema, desde físicas (diabetes, arteriosclerose, pressão alta, cirurgias, doenças nervosas, desequilíbrios hormonais, excesso de álcool) e psicológicas (ansiedade, stress, depressão).

Autoestima

Infelizmente, por vergonha, já que o assunto ainda é um tabu entre os homens, muitos homens ainda relutam em procurar ajuda profissional, geralmente, só buscam ajuda após quatro anos do início do problema.

O fato é que mesmo aqueles casos mais brandos já conseguem causar insegurança, abalando a confiança e a autoestima, e os casos mais graves fazem um estrago ainda maior na qualidade de vida dos homens, muitas vezes levando à depressão.

Por isso, para evitar que venha a sofre de depressão, não deixe de procurar ajuda médica assim que perceber os primeiros sintomas.

Como funciona a ereção

O funcionamento da ereção não tem mistério, só é preciso que o  homem receba algum estímulo para que o pênis fique imediatamente ereto. Muitas vezes, até, a ereção acontece de forma involuntária, como as ereções noturnas durante o sono ou as matinais, assim que o homem acorda.

Pois bem, o fato é que, apesar de ser simples, para o perfeito funcionamento da ereção, é necessário que haja uma sequência de ações dos sistemas vascular, nervoso e hormonal, com o corpo cavernoso se enchendo de sangue e promovendo a ereção, e quando esse sangue retorna para a circulação geral, o órgão sexual volta a ficar flácido.

Então, quando há qualquer desarmonia no mecanismo de funcionamento, ocorre a impotência sexual.

É preciso ter em mente que sexo é vida, interferindo diretamente nas relações e  na qualidade de vida, sendo uma das principais causas de depressão.

Por isso, é fundamental ficar atento para qualquer problema de ereção, lembrando que quanto antes procurar ajuda, mais chances terá de recuperar a autoestima e sua vida sexual.

Como é feito o diagnóstico de Diabetes?

Diabetes é uma doença que acontece pela falta de insulina e/ou pela incapacidade da insulina exercer adequadamente seus efeitos, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue.

Ou seja, a diabetes acontece porque o pâncreas não consegue produzir insulina em quantidade suficiente para suprir as necessidades do organismo, ou porque este hormônio não consegue agir da forma adequada, com resistência à insulina.

Felizmente, atualmente existem muitas formas de tratamento eficazes para diminuir a quantidade de glicose no sangue, Biomass Caps é um tratamento natural muito eficiente e que tem sendo utilizado por muitas pessoas, podendo até mesmo prevenir que uma “pré-diabetes” venha a se tornar diabetes de fato.

Exames para diagnosticar a diabete

Glicemia de jejum

Glicemia de jejum é um exame para medir o nível de açúcar no seu sangue no momento, servindo para monitorar o tratamento de diabetes. Os valores de referência ficam entre 70 a 99 miligramas de glicose por decilitro de sangue.

Resultados:

  • São considerados anormais, bem próximos ao limite, quando os resultados aparecem entre 100 mg/dL e 125 mg/dL, devendo ser repetidos em uma outra ocasião.
  • Já, quando os valores aparecem acima de 140 mg/dL, estes são considerados bastante suspeitos de diabetes, porém, o exame também deve ser repetido, em uma outra ocasião.

Hemoglobina glicada

Hemoglobina glicada é um exame para avaliar a fração da hemoglobina (proteína dentro do glóbulo vermelho) que se liga à glicose.

É preciso saber que durante o período de vida da hemácia (geralmente, 90 dias) a hemoglobina vai incorporando glicose, em função da concentração deste açúcar no sangue.

Assim, no caso dessas taxas de glicose estarem altas durante todo esse período ou aumentarem de vez em quando, haverá necessariamente um aumento nos níveis de hemoglobina glicada.

Dessa forma, o exame de hemoglobina glicada consegue mostrar uma média das concentrações de hemoglobina no sangue nos últimos 3 meses .

Os valores da hemoglobina glicada indicam se a pessoa está, ou não, com hiperglicemia.

Valores normais da hemoglobina glicada:

  • Pessoas sadias: entre 4,5% e 5,7%
  • Pacientes já diagnosticados com diabetes:abaixo de 7%
  • Anormal próximo do limite: 5,7% e 6,4% e o paciente deverá investigar para pré-diabetes
  • Consistente para diabetes: maior ou igual a 6,5%

Curva glicêmica

Curva glicêmica simplificada é um exame para medir a velocidade em que, após a ingestão, o corpo absorve a glicose. No exame, o paciente ingere 75g de glicose para que seja feita a medida das quantidades da substância no sangue após duas horas da ingestão.

Esse exame é usado para o diagnóstico, medindo no tempo zero e após 120 minutos.

Os valores de referência são:

Em jejum: abaixo de 100mg/dl

Após 2 horas: 140mg/dl.

Já, a Curva glicêmica maior que 200 mg/dl, após duas horas da ingestão, de 75g de glicose é suspeito para diabetes.

Condições para ser diagnosticada Diabete:

  • Sintomas de urina e sede intensas, perda de peso apesar de ingestão alimentar, com glicemia fora do jejum maior que 200 mg/dl.
  • Hemoglobina glicada maior que 6,5%, confirmada em novo exame.
  • Glicemia de jejum maior ou igual a 126 mg/dl em, pelo menos, duas amostras em dias diferentes.
  • Uma dosagem de hemoglobina glicada associada à glicemia de jejum maior que 200 mg/dl, juntamente com outros sintomas de diabetes.
  • Glicemia maior que 200 mg/dl duas horas após ingestão de 75g de glicose.

No mais, fique atento, e se surgirem sintomas como fome frequente, sede constante, vontade de urinar diversas vezes ao dia, perda de peso, que são os mais comuns no caso do diabetes, procure o quanto antes um médico para que possa fazer o diagnóstico.

4 tratamentos para acabar com estrias vermelhas

Não só a celulite costuma tirar o sono de muitas mulheres, as estrias também são responsáveis por problemas como baixa autoestima e insegurança, que acabam interferindo em sua qualidade de vida.

O fato é que essas marquinhas, que surgem como resultado da ruptura das fibras de colágeno e elastina, possuem diferentes aspectos e tonalidades, podendo ir de cicatrizes mais sutis, até aquelas mais perceptíveis, o que vai depender do tempo de vida delas na pele.

Nesse sentido, as mais recentes, portanto as mais fáceis de tratar, são as estrias vermelhas, que podem ser removidas mais rapidamente com a ajuda de alguns procedimentos.

Dentre as possibilidades de tratamentos das estrias vermelhas, podemos destacar quatro, que prometem acabar com essas cicatrizes na pele de vez! Os tratamentos são:

1) Hidratação

Podemos afirmar, sem medo de errar, que qualquer tratamento passa por uma boa hidratação, e com as estrias não é diferente. Assim, não dá para subestimar esse cuidado simples, mas super eficaz para tratar a pele: a hidratação. Essa hidratação pode ser feita com o uso de cremes como o Famoso Creme para Estrias Silk Skin ou loções com ativos ácidos – como o retinóico ou glicólico – que ajudam a remover as marcas. Mas, atenção, é fundamental que o uso desses ingredientes seja feito com o acompanhamento de um médico dermatologista.

2) Laser

Muito populares, os tratamentos de laser ou luz intensa pulsada agem na camada superficial da pele, ajudando a remover as estrias vermelhas na pele, clareando as cicatrizes. Mas, na hora de optar por esse tipo de tratamento, é fundamental que esse procedimento seja feito com um dermatologista. Dependendo do caso, ele pode associá-lo com o uso de outras terapias, como o peeling, por exemplo.

3) Microagulhamento

Outro procedimento muito indicado para tratar estrias é o microagulhamento, também chamado de Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas (IPCA). Esse procedimento é feito através de uma técnica que por meio de pequenas agulhas, ou mesmo, canetas, que perfuram as camadas da pele, justamente, para estimular o colágeno e, dessa forma, tratar uma série de problemas, como rugas, manchas, cicatrizes e estrias.

4) Peeling

Outro procedimento, muito popular, e que costuma apresentar ótimos resultados e ajudam a clarear essas estrias é o peeling, que pode ser físico ou químico, dependendo dos ativos utilizados no procedimento, e da sua concentração. O tratamento promete renovar e esfoliar a pele, tornando as cicatrizes menos visíveis.

Esses tratamentos, conforme dito acima, são voltados para o tratamento das estrias vermelhas, que são as mais recentes e fáceis de tratar. Para tratar estrias mais antigas e complexas de tratar, como as brancas, são usadas outras técnicas, geralmente associando duas ou mais, tais como: Laser fracionado + subcisão; Radiofrequência; Laser fracionado; Peeling de cobre + Intradermoterapia; Carboxiterapia, entre outras possibilidades.

E é isso, no mais, a recomendação é beber muita água, hidratando de dentro para fora, apostar em uma boa alimentação, praticar exercícios físicos e procurar se manter com o peso estável.

12 maneiras de prevenir varizes

Infelizmente, alguns fatores são “quase” decisivos para o surgimento das varizes, como predisposição genética, oscilação hormonal, entre outros…

Por outro lado, algumas mudanças de hábitos, ou comportamentos, podem sim, ajudar a prevenir o aparecimento das veias dilatadas ou, pelo menos, evitar possíveis complicações.

Lembrando que varizes são aquelas veias, aparentes, de cor azulada, que prejudicam a circulação do sangue.

Assim, as varizes, muito mais do que um simples problema estético, podem doer, arder, dar sensação de peso às pernas, coçar e, dependendo do grau, até levar a úlceras varicosas, mas a boa notícia é que isso pode ser evitado, e é o que mostraremos aqui.

10 maneiras de prevenir varizes

  1. Controlar o peso
    A obesidade aumenta a pressão exercida sobre os vasos, além de favorecer inflamações. Por isso, é fundamental controlar o peso.
  2. Beber água
    Para a saúde em geral, e também para prevenir varizes, é indicado beber muita água, sucos e chás para melhorar a circulação do sangue, pois quanto menor a ingestão de água, maior a viscosidade do sangue, sem falar que a desidratação também facilita a queda da pressão arterial, ameaçando vários órgãos.
  3. Não ficar na mesma Posição

Segundo estudos, trabalhar sentado oito horas por dia aumenta em 10% o risco de morte. É preciso realizar exercícios movimentando os pés a cada hora de trabalho sentado; levantar toda hora e procurar andar um pouco. E quem trabalha em pé, ficando nessa mesma posição por longos períodos, o ideal é fazer pausas para se sentar e levantar os pés.

  1. Se exercitar
    Qualquer exercício, até os de baixo impacto são benéficos, pois a contração da musculatura aumenta a velocidade do fluxo do sangue nas veias, melhorando o retorno do sangue ao coração.
  2. Usar calçados confortáveis

O indicado é evitar, sempre que possível, o uso de saltos altos, procurando alternar a altura: com mais grossos, preferindo os saltos de 3-4 cm para uso diário.

  1. Usar roupas leves
    Calças ou cintas apertadas demais comprimem a barriga e podem prejudicar a drenagem das pernas. Mas não é necessário usar somente roupas largas: o ideal é só evitar aquelas que causam incômodo na hora de sentar.
  2. Usar um creme para varizes
    O creme varizero é super eficiente e um dos mais utilizados por mulheres e homens para amenizar os sintomas das varizes.
  3. Meia elástica
    As meias de compressão, indicadas pelo cirurgião vascular, ajudam a melhorar o retorno venoso.
  4. Comer mais fibras

O bom funcionamento do intestino é fundamental para evitar a pressão sobre as veias do abdômen, causada por prisão de ventre. Por isso, capriche no consumo de fibras, como mamão, legumes, verduras e sementes.

  1. Evitar sol em excesso
    Não apenas o sol, mas sauna, banhos com água quente, tudo isso provoca o aquecimento da pele e a passagem de mais quantidade de sangue pelos vasos da pele, o que acaba fazendo com que dilatem, favorecendo o surgimento de vasinhos em quem tem predisposição.
  2. Evitar cigarro
    A nicotina está ligada à diminuição da espessura dos vasos sanguíneos, sem falar que o monóxido de carbono oferece mais risco por diminuir a concentração de oxigênio no sangue, deixando os vasos mais susceptíveis ao entupimento, possibilitando, até um processo de trombose.
  3. Consultar um médico

O indicado, principalmente, para quem tem predisposição, é visitar anualmente um angiologista.

Quais os sintomas da diabete?

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, atualmente existem, no Brasil, mais de 13 milhões de pessoas convivendo com a doença, ou seja, cerca de 6,9% da população nacional.

Para quem não sabe, a Diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente de insulina, ou a má absorção desse hormônio, que é o responsável por regular a glicose no sangue, garantindo energia para o organismo.

Então, a diabetes pode causar o aumento da glicemia cujas altas taxas podem levar a uma série de problemas, no coração, nas artérias, nos olhos, nos rins e nos nervos e, em casos mais graves, até à morte.

Tipos mais comuns de diabete

A diabetes pode se apresentar de diversas formas, possuindo diversos tipos diferentes, mas os mais comuns são:

Diabetes tipo 1

A Diabetes do tipo 1 acomete cerca de 90% dos pacientes diabéticos no Brasil, 5% e 10% do total, sendo uma doença crônica não transmissível e hereditária.

Embora a diabetes tipo 1 apareça geralmente na infância ou adolescência, ela pode ser diagnosticado em adultos também.

O ideal é que quem tenha parentes próximos com a doença façam  exames regularmente, para poder acompanhar a glicose no sangue.

O tratamento para controlar a glicose no sangue nesse tipo de diabetes, é feito com o uso diário de insulina e/ou outros medicamentos.

Ainda não se sabe a causa do diabetes tipo 1, por isso, a melhor forma de se prevenir da doença é adotando hábitos saudáveis, investindo e uma boa alimentação e atividades físicas regulares.

Diabetes tipo 2

Já, a diabetes tipo 2 acontece quando o corpo não aproveita adequadamente a insulina produzida, tendo sua causa mais relacionada ao sobrepeso, sedentarismo, triglicerídeos elevados, hipertensão e hábitos alimentares inadequados.

Portanto pode ser tratada mais tranquilamente com remédios naturais que ajudam a diminuir o açúcar no sangue, o GC 99 é super eficiente para isto.

Além disso pode ser tratada controlada tendo uma alimentação mais saudável e fazendo atividades físicas com frequência.

Principais sintomas da Diabete

Sintomas da diabete tipo 1:

  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Mudanças de humor;
  • Náusea e vômito.

Sintomas da diabete tipo 2:

  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Formigamento nos pés e mãos;
  • Vontade de urinar diversas vezes;
  • Infecções frequentes na bexiga, rins, pele e infecções de pele;
  • Feridas que demoram para cicatrizar;
  • Visão embaçada.

De uma forma geral, os principais sintomas da diabete são: fome e sede excessiva e vontade de urinar várias vezes ao dia.

Como prevenir

Independente do tipo de diabetes, tanto a tipo 1 como a 2, sem dúvida, a melhor forma de prevenir é praticando atividades físicas regularmente, mantendo uma alimentação saudável e evitando consumo de álcool, tabaco e outras drogas, enfim, adotando hábitos saudáveis.

É preciso considerar que hábitos saudáveis evitam não só a diabete, como também, uma série de outras doenças crônicas, até mesmo, o câncer.

Vale considerar que o diagnóstico precoce é o primeiro passo ter sucesso no tratamento da diabete. Por isso, assim que perceber seus sintomas, procure logo um serviço de saúde, principalmente, se estiver urinando demais e sentindo muita sede e muita fome.

Como vencer o estresse durante a TPM

Para 70% das mulheres todo mês é a mesma coisa, uma enorme irritabilidade, mal humor, dores de cabeça, uma vontade louca de comer doces… pois é, isso nada mais são que sintomas da temida TPM (tensão pré-menstrual).

Infelizmente, todo mês, enquanto para algumas mulheres os efeitos da TPM são quase imperceptíveis, para a maioria, no entanto, eles podem ser bem complicados,  interferindo em seus relacionamentos e até na vida profissional, afetando a qualidade de vida, como um todo.

Quer saber como vencer o estresse e os demais efeitos da TPM? Confira abaixo!

O que incluir na alimentação

Certamente, como já era de se imaginar, a alimentação pode influenciar diretamente na TPM, com alguns nutrientes podendo ajudar, e muito, a passar mais tranquilamente por essa fase, livre do estresse.

Por isso, a dica é usar alguns alimentos para driblar ou reduzir o estresse e os demais sintomas da TPM.

Magnésio

Quer ver o estresse passar longe? Então, não deixe de incluir na próxima lista do mercado aqueles alimentos ricos em magnésio, que quando consumidos com a vitamina B6, ajudam a diminuir o estresse, irritação, mal humor, além de ajudarem a reduzir as dores de cabeça.

Alimentos: beterraba, aveia, abacate e banana

Também inclua na lista alimentos como o salmão, o azeite de oliva e a linhaça, que ajudam a melhorar a circulação e reduzir a sensação de inchaço.

Os vegetais escuros contém bastante cálcio, aliviando cólicas, e os alimentos integrais e as fibras, dão mais disposição e diminuem a fadiga.

Suplementos e produtos naturais como o Laisve também são uma boa opção.

O que evitar na alimentação

Por outro lado, se quer ver o estresse bem longe, é preciso evitar molhos e alimentos ricos em sal, que podem causar retenção de líquidos e aumentar a sensação de inchaço.

E não esqueça de “esquecer” alimentos com muita cafeína, as bebidas alcoólicas, e até os doces, já que causam tensão, além de causarem inchaço das mamas.

E vale repensar o impulso por chocolate, pois ele pode ser uma delícia na hora de comê-lo, mas depois o preço é alto… a dica, portanto,  é caso sinta vontade de comer algum doce, optar por frutas e sucos naturais.

Exercícios físicos

Não é novidade que exercícios físicos fazem bem para a saúde e a mente, e fundamental se evitar o sedentarismo para combater os sintomas da TPM.

Atividades físicas ajudam no combate ao estresse, já que são liberadas as endorfinas, hormônios que proporcionam a sensação de bem estar e causam o relaxamento.

E mais, comprovadamente, as atividades físicas ajudam a aliviar sintomas como cólica e inchaço, embora essas atividades devam ser feitas com moderação pois, do contrário, o efeito pode ser o oposto do esperado, agravando os sintomas.

Ajuda médica

Sem dúvida, é preciso considerar que algumas mulheres sentem os sintomas de forma muito mais intensa, nesses casos, sendo recomendável tratamentos com medicamentos.

Embora a forma mais intensa de TPM atinja apenas uma minoria, caso perceba que precisa de ajuda, converse com seu ginecologista.

Em alguns casos são receitados suplementos ou medicamentos para dor e outros sintomas, de acordo com o tipo de TPM.

Geralmente, os suplementos são recomendados para mulheres que têm uma rotina muito corrida, sem tempo para uma alimentação regrada. Se esse for seu caso, então, a dica é também conversar com seu ginecologista que saberá lhe passar o suplemento adequado para o seu tipo de TPM.

Autoconhecimento

É fundamental você procurar se conhecer, perceber suas sensações e identificar, assim, os sintomas da TPM. Lembrando que cada caso é um caso, sendo importante até registrar cada sintoma para, então, conversar com seu médico.

Lembre-se que nessa fase você pode estar mais sensível e irritada, por isso, caso perceba ser o seu caso, que está começando a perder o controle ou se sentir mal, interrompa o que estiver fazendo, por um momento, e respire fundo.

Já sabe que costuma ficar irritada, então, procure relaxar e não se expor a situações de estresse durante esse período.

No mais, não seja tão rigorosa consigo mesma, tente conhecer melhor seu corpo e entender que está mais suscetível a algumas situações.

E é isso, agora é aproveitar essas dicas e, assim, aliviar os sintomas da TPM, sabendo que eles sempre passam e que seu bem estar é fundamental.

Sintomas de Varizes Inflamadas

Não há a menor dúvida de que as varizes são problemas que realmente podem causar um grande desconforto físico, além do estético, claro. O que muita gente não sabe é que elas podem ser classificadas de acordo com seus sintomas, indo do 1 até o 6.

A partir da classe 4 é que temos as varizes inflamadas, que é quando também aparecem manchas acastanhadas na pele ou algumas reações cutâneas como sensação de coceira, vermelhidão e a área fica mais úmida, como se houvesse uma aguinha saindo da pele.

No caso das varizes 4 em diante, a pele tende a ficar mais brilhosa e dura ao toque, perdendo a sua elasticidade natural.

Para saber se é um caso de varizes inflamadas, é essencial consultar um médico, preferindo sempre um especialista cirurgião vascular ou angiologista.

Principais sintomas das varizes

  • Dor: o paciente pode sentir uma dor intensa, provocando o desejo de sentar-se a fim de aliviar o sintoma.
  • Ardor: essa é uma consequência relacionada com a sensação de dor que o paciente está sentindo
  • Sensação de peso nas pernas: os pacientes podem sentir uma sensação que é descrita como peso nos membros inferiores, que pode piorar principalmente ao fim do dia.
  • Inchaço: isso pode acontecer especialmente nos pés e tornozelos, embora toda a perna possa apresentar o edema.
  • Coceira: costuma acontecer especialmente na região onde as varizes se destacam

Caso você esteja experimentando algum desses sintomas, a recomendação é sempre procurar um médico especialista, para identificar o estágio do problema.

Somente assim será possível determinar qual é a melhor forma de tratamento, considerado cada caso individualmente.

Tratamento varizes inflamadas

De uma forma geral, as varizes inflamadas são tratadas de duas formas básicas, que é cirurgia ou espuma.

Para decidir qual o melhor tratamento o médico deverá considerar o estágio da doença, o estilo de vida que o paciente tem e outros fatores, como histórico familiar do problema.

Somente o especialista é que poderá determinar qual é a melhor forma de resolver a questão de forma segura e eficaz.

Alguns cremes contribuem muito para melhora, Varigold é um creme natural que cumpre bem esta função!

A diferença entre um cirurgião vascular e um angiologista é a seguinte: o angiologista é o profissional que faz o tratamento com espuma enquanto o cirurgião vascular é o que pode fazer tanto o tratamento com espuma quanto a cirurgia, ou seja, atua nos dois tratamentos que são os mais utilizados para esse problema.

O mais importante de tudo é salientar que não é incomum que esses dois profissionais atuem em conjunto, a fim de proporcionar os melhores resultados de tratamento para o paciente.

Isso porque eles irão estudar a saúde do paciente, o quadro de varizes, idade, histórico e todos os detalhes importantes.

Alimentos para prevenir o câncer de próstata

Veio até aqui querendo conhecer os alimentos que podem ajudar a prevenir o câncer de próstata? Então, continue lendo esse artigo!

Pesquisas a cada ano comprovam o poder dos alimentos na nossa saúde e, os naturais ou integrais saem na frente quando o assunto é prevenção de determinadas doenças, e o câncer é uma delas.

Na verdade, na luta ou combate ao câncer, é fundamental mudar a alimentação e o estilo de vida, principalmente, quem não prioriza alimentos saudáveis e ainda é sedentário.

Por isso, a dica para prevenir o câncer de próstata é começar pela mudança de hábitos alimentares e de rotina, e uma outra coisa que ajuda bastante além dos alimentos é fazer o uso do renova prost que é um suplemento 100% natural que ajuda na prevenção de doenças da próstata.

Acredite, assim como existem alimentos que devem ser evitados, por prejudicar a próstata, há aqueles que ajudam a prevenir a doença, e são alguns deles que iremos mostrar aqui abaixo.

Alimentos para prevenir o câncer de próstata

Tomates

Campeão quando o assunto é prevenir o câncer de próstata, o tomate segue reinando absoluto e deveria fazer parte da rotina de todos os homens. Estudos confirmam o poder do tomate e outros frutos vermelhos, como a melancia, e isso porque esses alimentos contêm licopeno, que é um antioxidante muito poderoso. Mas a dica é ingerir o tomate cozido,  como em molhos, por exemplo, já que a absorção do licopeno é maior quando ele é cozido.

Peixes

Como o ômega-3 é uma gordura muito saudável, prevenindo inflamações, reduzindo o risco de câncer e ainda aumentando os níveis do colesterol bom, vale apostar em peixes de água fria, como salmão, sardinha, atum e truta, ricos nessa gordura. Pesquisas recentes apontaram que consumir suplementos de óleo de peixe, ou apostar em uma dieta com pouca gordura, diminui o crescimento das células cancerosas da próstata.

Frutas e legumes

Não é novidade alguma os muitos benefícios de consumir diariamente frutas e legumes, e os compostos dos vegetais verdes ainda auxiliam o corpo a destruir substâncias carcinogênicas. E mais, os nutrientes e vitaminas encontrados em frutas como o abacate, por exemplo, ajudam a diminuir o risco de câncer de próstata.

Brócolis

Os fitoquímicos encontrados no brócolis, e outros vegetais crucíferos, como repolhos, couve, couve-flor, couve de Bruxelas, ajudam a diminuir o risco de câncer de próstata.

Soja

Não só o licopeno, presente nas frutas vermelhas e tomates, mas também a isoflavona é um nutriente que ajuda a diminuir o risco do câncer de próstata. Dentre os alimentos que contêm isoflavona podemos destacar o queijo de soja ou tofu, ervilhas, lentilhas, brotos de alfafa e amendoim.

Gordura vegetal saudável

Quando o assunto é gordura, a dica é evitar a gordura animal, que pode aumentar o risco de câncer, encontrada nas carne, manteiga e queijo. Prefira o azeite de oliva, frutas, vegetais frescos, nozes ou sementes. Também risque da dieta os doces e alimentos industrializados.

14 dicas para emagrecer com saúde

Está precisando correr atrás do prejuízo e emagrecer alguns quilinhos? Quer emagrecer, mas sem comprometer a saúde? Então, continue lendo esse artigo.

Emagrecer é matemática: é preciso se gastar mais do que se consome.

Mas, o grande segredo nem é tanto o emagrecer em si, mas o manter o novo peso e não voltar a engordar, que para que isso aconteça, é preciso mudar hábitos alimentares e de vida.

Assim, para emagrecer de com saúde, só é preciso investir em novos hábitos, como regular a alimentação e iniciar ou intensificar a prática de exercícios físicos.

Entretanto, alguns hábitos e alimentos podem ajudar a acelerar esse processo de emagrecimento, quer saber quais? Confira abaixo. :

Alimentos que queimam gordura: acredite, alguns alimentos estimulam a queima de gordura, tais como:  farinha de amora, chá de lichia, chá de hibisco e a banana, que também ajuda na sensação de saciedade.

Alimentos que desincham: muitas vezes parte do excesso de peso vem do inchaço. Por isso, procure consumir (com moderação) alimentos ricos em ômega 3, como peixes, linhaça e castanhas.

Alimentos que promovem a saciedade: alimentos como frutas, aveia, chia e grão de bico, possuem muitas fibras que aumentam a sensação de saciedade, assim, você vai demorar mais tempo para sentir fome, além de não acabar comendo compulsivamente.

Alimentos que aceleram o metabolismo: também chamados de  termogênicos como café, gengibre, canela e pimentas, esses alimentos aceleram o metabolismo, promovendo maior queima de gorduras em menos tempo.

Lanchinhos inteligentes: para não ter fome e, com isso, acessos de gula e compulsão, vale investir em dois ou três lanchinhos durante o dia, nos intervalos entre as refeições principais. Mas, claro, opte por frutas ou iogurtes, alimentos menos calóricos.

Refeições equilibradas e variadas: é fundamental não excluir nenhum grupo alimentar das refeições, é necessário comer de tudo, pois todos os nutrientes são importantes para o organismo humano. Coma frutas, verduras, cereais, leguminosas, diversos tipos de carnes e leite e derivados.

Fuja de dietas restritivas: elas podem até funcionar no começo, mas tendem a gerar compulsão alimentar com o decorrer do tempo, o melhor é optar por emagrecedores como o Sibulmax ou outros suplementos que ajudam você a ficar saciada com menos comida.

Chás: alguns chás que ajudam a emagrecer porque estimulam a queima de calorias dentro do organismo, tais como chá de canela, chá verde e chá preto.

Pratique exercícios regularmente: a alimentação é muito importante no processo de emagrecimento, mas é preciso lembrar dos exercícios físicos. Para perder peso, aposte em exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida e bicicleta.

Dietas da moda: fique longe das chamadas dietas da moda, que prometem o emagrecimento rápido, mas têm um custo, muitas vezes, a perda de músculos e até da saúde.

Sal e açúcar: é preciso diminuir o consumo de sal e de açúcar não só pela questão do emagrecimento, mas também pela saúde, já que em excesso, o sal pode provocar várias doenças, como hipertensão.

No caso do açúcar, o consumo exagerado pode causar doenças graves, como o diabetes, sem falar que ele se transforma em acúmulo de gordura.

Gorduras trans: fique bem longe delas, que fazem muito mal à saúde.

Gordura saturada:  reduza o consumo de gorduras saturadas, consumindo com moderação alimentos como carne vermelha, queijos e manteiga.

Água: é fundamental lembrar de ingerir, pelo menos, dois litros de água por dia.

Impotência: Causas e Tratamentos

Está desconfiado de que esteja sofrendo de impotência sexual? Quer saber o que pode causar e como tratar? Então, confira com a gente.

A impotência sexual é a incapacidade e dificuldade em ter, ou manter, uma ereção, permitindo concretizar o ato sexual.

Se essa incapacidade acontecer de vez em quando, em situações específicas, não precisa se preocupar, mas se esta dificuldade acontece em, pelo menos, 50% das tentativas para ter o ato sexual, então, nesse caso, já é preciso ligar o sinal de alerta.

A boa notícia é que a medicina está bastante adiantada, existindo tratamentos para os mais diversos casos, pode ser através de medicamentos, terapias ou, em casos mais graves, cirurgias.

Embora, na sua grande maioria a impotência sexual afete homens na faixa de 50 aos 80 anos, ela também pode afetar os mais jovens. Portanto, a dica é, assim que perceber que o problema passou a ser recorrente, procurar logo a ajuda de um profissional competente.

Acredite, a impotência sexual, quando não tratada, não só prejudica a saúde sexual e íntima do homem, como também pode resultar em sérios problemas psicológicos, como a baixo autoestima e depressão.

Principais Causas da impotência sexual

Algumas das principais causas que levam a impotência sexual são:

  • Alcoolismo;
  • Doenças crônicas, como diabetes ou insuficiência renal;
  • Obesidade;
  • Problemas psicológicos como trauma, depressão, insegurança, insatisfação ou diminuição da libido;
  • Tabagismo, que reduz o fluxo de sangue no órgão sexual, dificultando ou impedindo a ereção;
  • Uso de drogas;
  • Uso excessivo de alguns medicamentos do tipo anti-hipertensivos, antidepressivos e antipsicóticos.

Principais sintomas da impotência sexual

Dentre os principais sintomas da impotência sexual podemos citar os seguintes:

  • Alterações ou deformação no órgão genital;
  • Dificuldade de fazer sexo em algumas posições sexuais;
  • Dificuldade para conseguir ou manter uma ereção;
  • Diminuição do número de ereções espontâneas ao acordar;
  • Diminuição dos pelos no corpo;
  • Ejaculação mais rápida que o habitual;
  • Ereção menos rígida;
  • Maior esforço e concentração para manter a ereção;
  • Mais tempo para atingir a ereção;
  • Redução do tamanho do órgão sexual.

Diagnóstico da impotência sexual

O diagnóstico da impotência sexual pelo médico é feito após um registro de todas as dificuldades durante o ato sexual.

Após serem descartadas outras possíveis causas, desde depressão ou drogas, também é realizado um exame físico em busca de deformidades no órgão genital, doenças cardiovasculares, doenças na próstata, e etc…

Em alguns casos, o médico pode vir a pedir alguns exames de laboratório para avaliar os níveis dos lipídios, açúcares e do hormônio testosterona no organismo, que dependendo do caso, também podem ajudar a identificar o problema.

Tratamento da impotência sexual

Felizmente, os tempos são outros e hoje já podemos dizer que a impotência sexual pode ser tratada, e de diferentes formas, já que o tratamento vai depender da causa.

Os tratamentos mais usados são:

Remédios que ajudam na ereção, como Sildenafil (Viagra), Tadalafil (Cialis) ou Vardenafil (Levitra), Apomorfina, Blemelanotida ou Alprostadil.

Muitos homens no entanto tem medo dos efeitos colaterais destes medicamentos e preferem utilizar o V8 BIGSIZE, um gel peniano 100% feito com ingredientes naturais, e portanto sem contra indicações.

Terapia de reposição hormonal (em cápsulas, adesivos ou injeções), para aumentar os níveis de testosterona;

Uso de aparelhos de vácuo, geralmente aconselhados para homens que não podem se submeter a tratamento com remédios;

Cirurgia para implantação de próteses penianas, usadas como último recurso, quando os demais tratamentos não tiveram sucesso.

Terapia, aconselhamento, para tratar possíveis medos e inseguranças que possas estar causando, ou agravando, o problema, ou mesmo para tratar casos de depressão.

Então, como é possível ver, muitas são as opções de tratamentos, o que não pode acontecer é a pessoa fechar os olhos para o problema e perder a qualidade de vida.

Page 1 of 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén